Site da Serra

Quarta, 10 de agosto de 2022
MENU

Especiais

“Manguinhos foi paixão a primeira vista”

Weliton Magela, nascido em Ecoporanga e após morar no RJ por mais de 20 anos, escolheu a Serra para viver

Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Serra é um dos maiores e mais importantes municípios do Espírito Santo, com polo industrial forte e de grande expressão no mercado brasileiro, com dimensões geográficas que facilitam a logística comercial.

A grandiosidade do município é notada a todo instante, desde as breves passagens de quem a vê apenas por seu bairros adjacentes a BR-101, rodovia que corta a cidade e liga o norte ao sul do estado, como para quem resolve explorar sua imponência cultural e natural.

Na Serra tem trabalho, renda, congo, patrimônios e ruínas históricas, praias, lagoas, trilhas, agroturismo, folclore religioso, circuito gastronômico e uma população mista e também, grandiosa [527.240 pessoas / IBGE / 2020], formada por serranos raiz e os de coração, que escolheram a cidade para viver ou empreender.

Weliton Magela, 50 anos, é um desses serranos de coração. Nascido em Ecoporanga, após ter morado por mais de 20 anos no Rio de Janeiro, residido em outros municípios capixabas e um viajante, que percorre todo o Brasil propagando seu trabalho como terapeuta, Master Trainer em Programação Neurolinguística (PNL), ele escolheu a Serra para viver.

Há oito anos, de passagem pela Serra, ele conta que não resistiu aos encantos de Manguinhos, balneário bem conhecido por sua característica bucólica, pela hospitalidade dos moradores, muitos pescadores, pelo seu “Manguinhos Gourmet”, festival de gastronomia que atrai muitos turistas e frequentadores, e o seu carnaval, que envolve seus foliões numa mistura regional, com direito a congo, samba de roda e o tradicional banho de mar a fantasia.

“De todos os lugares que conheço, Manguinhos foi uma paixão a primeira vista. Quando eu passei em frente ao prédio que eu escolhi para morar, ele ainda estava construindo, uma experiência bacana, porque eu subi naqueles elevadores de obra e quando eu cheguei em cima e vi Manguinhos, eu fiquei muito apaixonado”, relembra Magela.

A vista que encantou Weliton Magela.

O terapeuta aguardou pacientemente pelo término da obra e há dois anos, desfruta dos encantos e das facilidades que a Serra proporciona. A cidade possui infraestrutura organizada e eventualmente é possível ver o serrano de coração, em seus posts nas redes sociais, exaltando as facilidades de se morar na Região Metropolitana capixaba, como o fato de estar próximo ao aeroporto de Vitória, por exemplo.

Como morador completamente encantado pelo lado positivo da Serra, Magela não deixa de observar seus problemas, mas sempre com um olhar de esperança e a certeza de que o município tem muito a avançar.

Para o ano de 2021 e o futuro da Serra, ele vislumbra um futuro com mais igualdades para todos.

“Eu vejo que a Serra vem, há muito tempo, melhorando, deixando de ser uma cidade dormitório para ter vida própria, onde as pessoas podem morar, podem sobreviver, fazer negócios. E o que me trouxe e me faz esperançar da Serra é um lugar onde haja justiça social, educação, cultura, bem estar, mas principalmente, um lugar de desenvolvimento, onde as pessoas possam também sobreviver desse município tão belo, tão bonito e que tem, nos últimos tempos, na minha opinião, crescido com boas gestões”, conclui.

 

 

 

Créditos (Imagem de capa): Acervo Pessoal

Comentários:

Responderemos assim que possível.